Shawol Brazil

Fórum brasileiro dedicado ao SHINee


    True Love ; JooMi ; +18

    Compartilhe
    avatar
    Leatherplaid
    Admin
    Admin

    Mensagens : 4493
    Idade : 24
    Localização : SM Town

    True Love ; JooMi ; +18

    Mensagem por Leatherplaid em Sex Out 28, 2011 7:16 pm

    Título: True Love
    Autor: Leatherplaid
    Censura: +18
    Casal: JooMi
    Genero: Romance, Lemon
    Andamento: 1/1

    A lemon não está algo "oooh" pke é algo fofinho.... Mas espero qe gostem~




    A música baixa do rádio tocava pela lanchonete não tão cheia, se misturava com as vozes das pessoas que comiam no lugar. O rapaz de cabelos caramelo estava sentado em uma mesa, comendo sua refeição sem pressa, desviando o olhar para o rapaz forte sentado poucas mesas depois da sua, que retribuía o olhar, com um sorriso de canto, segurando uma pequena folha, como se esperasse algo, mesmo com o prato vazio à sua frente. Acabava por desviar o olhar assim que seus olhos encontravam com o do outro.
    Logo o menino de cabelo caramelo acabou de comer, se levantando. Pegou sua mochila e saiu da lanchonete, sem notar de que estava sendo seguido.




    Sorriu fraco ao ver o seu vizinho na lanchonete sentando em uma mesa perto da sua. Mesmo depois de acabar seu almoço continuou no lugar, observando o rapaz. Era um desperdício não tê-lo para si.
    Seguia o vizinho pela rua, ainda segurando um pequeno pedaço de papel com seu nome e o número do seu celular. Só precisava de um pequeno empurrão para entregar a folha rasgada para o rapaz de cabelos caramelo. Sorriu largo ao ver a desculpa para o número ao ver o celular amarelo do outro cair no chão. Amassou a folha, pegando o aparelho, salvando seu número ali, e então correndo atrás do outro.
    -Ne, acho que isso é seu. –comentou o rapaz forte, fazendo o rapaz de cabelo caramelo se virar surpreso.
    -Oh... Obrigado. –agradeceu envergonhado, pegando o aparelho, guardando-o no bolso.
    -Toma mais cuidado com suas coisas. –sorriu simpático afundando as mãos nos bolsos de seu jeans escuro, começando a andar, deixando o rapaz de cabelo caramelado parado, pasmo, surpreso.
    Mir estava sentado no ônibus indo para sua escola, mexendo em seu celular quando reparou um número novo marcado como favorito. Estanhou ao ver o nome: Lee Joon.
    -Joon...? –resmungou passando a mão por seu cabelo caramelo. Quem diabos era Joon? –Espera... –voltou a ler o nome, lembrando de seu vizinho que achou seu celular. Corou forte. Aquele era o número do rapaz bonito da porta ao lado... Guardou o celular, envergonhado, saindo do ônibus.

    O dia de Mir passou rápido, confuso. Por que o rapaz bonito tinha salvado seu número? Talvez ele esteja esperando um agradecimento... Talvez realmente deva agradecer. Abriu a blusa da escola, deixando a gravata jogada em um canto qualquer, se jogando em sua cama em seguida. O que falaria quando o outro atendesse? Somente um obrigado? Ou talvez devesse se apresentar... Bufou passando a mão por seu cabelo.




    Joon estava sentado no sofá grande de sua sala igualmente grande, vendo algo inútil em sua televisão de plasma que cobria um bom pedaço da parede bege quando o seu celular tocou. Olhou para o aparelho, atendendo-o.




    Mir gelou ao ouvir a voz do outro resmungar um “alo” preguiçoso. Desde quando tinha ligado?
    -A-alo... –respondeu envergonhado. –S-sou eu... Mir... O garoto do celular...
    -Oh, você! Fico feliz em saber que seu celular continua contigo. –riu. Mir corou forte.
    -Eu... Queria saber como posso te agradecer...
    -Você pode começar vindo até minha casa para conversarmos. Gosto de falar olhando nos olhos da pessoa. –falou com um tom diferente do preguiçoso de antes.
    -Eeeh? C-como é? –estava surpreso, assustado, envergonhado.
    -Tenho certeza de que você sabe onde eu moro.
    -M-mas...
    -Estou te esperando. –finalizou desligando. Mir olhava para o aparelho, envergonhado. Como iria aparecer na casa do outro? Se levantou, deixando o aparelho em sua cama, abrindo o armário. O outro não precisava de agradecimento nenhum.




    Joon permanecia jogado em seu sofá, sua camisa social preta aberta até a metade, e somente as luminárias da parede estavam acesas, enquanto o lustre preso no teto permanecia apagado, dando um ar mais formal para a casa. O barulho do programa que passava na televisão foi logo interrompido pela campainha. O rapaz forte se levantou, indo até a porta, abrindo-a.
    -Olha, você veio, Mir. –sorriu de canto, enquanto o outro abaixava a cabeça, envergonhado com a visão do outro. –Fique a vontade. –Mir entrou na casa do outro, observando o lugar. Era realmente um bom lugar. –Pode se sentar no sofá.
    -Obrigado... –agradeceu baixo, tímido, se sentando na beira do móvel grande. Joon se jogou sentado ao lado do outro, desligando a televisão.
    -Bem, agora você pode falar o que queria. –virou o olhar para o rapaz com certeza mais novo, que olhava para o chão.
    -E-eu...Eu queria saber como posso te agradecer... Por ter devolvido meu celular...
    -Quero saber o que tem de tão especial nele... É só um celular.
    -Eu gosto muito desse celular... Sem contar que ele me custou meses e meses de salário da locadora que eu trabalho... –explicava olhando fixo para o chão. Tinha certeza de que ficaria vermelho se olhasse para o outro, e se tinha algo que odiava era ficar vermelho.
    -Ah sim. –riu. –Bem, acho que sei como você pode me agradecer... –sorriu de canto, algo que passou despercebido pelo outro.
    -E... E como? Eu... Eu só não poderia te agradecer com dinheiro...
    -Não quero seu dinheiro. –continuava sorrindo se aproximando do outro. –Quero que você saia comigo. –sussurrou no ouvido de Mir, que arrepiou assustado.
    -M-mas Hyung... S-somos homens... Isso é-
    -A mesma desculpa de sempre. –riu interrompendo o outro. –Você acha mesmo que vou acreditar que você é hetero? Desculpa, Mir, mas eu vi um dos fundos do seu celular, e se não estou errado, você estava dando um selinho em um outro cara. Me diz, seria ele seu namorado?
    -N-não... O-o Thunder Hyung é meu melhor amigo... T-tiramos essa foto de brincadeira... Mas ficou tão legal que... Eu resolvi deixar...
    -Então pelo visto você não é hetero, huh? –perguntou rindo baixo. O outro realmente não sabia mentir.
    -N-não... –confessou envergonhado.
    -Bem, se você não queria sair comigo, era só ter dito não. –se levantou, começando a caminhar.
    -D-diz... Diz quando... –cedeu, virando o olhar para o outro, agora parado no meio da sala, de costas.
    -Te busco as oito na sua casa. Vamos jantar fora. –finalizou subindo as escadas da casa grande. Mir permanecia sentado no sofá, incrédulo. O que tinha feito? Ah sim, acabou de aceitar sair com o seu vizinho gato, gostoso, mas que provavelmente é um galinha. Levantou, saindo da casa do outro.




    Já era quase oito horas da noite, e Mir estava de pé, se olhando no espelho do banheiro, certificando-se de que estava tudo certo. Certo medo lhe vinha sempre que se lembrava do outro. O que ele pretendia?
    -Espero que não esteja muito arrumado. –resmungou tentando se distrair, olhando para sua roupa. A julgar pelo pouco que viu do outro, provavelmente o levaria para um restaurante caro. Pena que não tinha dinheiro para tal. A campainha tocou, fazendo com que Mir ajeitasse pela última vez a blusa social branca que usava, combinando com a calça jeans e o tênis que estava em seu pé, descendo abrir a porta.
    -Pronto? –perguntou o rapaz forte, com a mão afundada no bolso do seu jeans escuro, coberto por um paletó preto. O menino de cabelo caramelo desviou o olhar corando fraco. O outro realmente era bonito.
    -Pronto sim... –respondeu baixo, ouvindo um riso baixo do mais velho, que murmurou algo como “vamos”, começando a andar em direção a um carro prata, grande e bonito parado do outro lado da rua.




    O carro parou em frente a um restaurante chique, e ambos saíram do veiculo.
    -Espero que você goste. –sorriu Joon entrando no lugar, enquanto Mir o seguia.
    -H-hyung... –chamou tímido, se “escondendo” atrás do outro. –Eu... Eu não tenho dinheiro para pagar isso...
    -Não se preocupe, Mir. Eu vou pagar para você. –sorriu simpático arrastando o outro até uma mesa.
    -M-mas eu não vou poder pagar depois...
    -Não precisa pagar. O seu agradecimento é sair comigo. Eu convidei, e eu pago. –comentou calmo sentando em uma mesa. Mir sentou ao lado, envergonhado. Logo o garçom apareceu. –Quero o melhor prato do lugar e o melhor vinho. Para nós dois.
    -M-mas Hyung... –gaguejou vendo o garçom sair de perto.
    -Me diz, Mir. O que você faz da vida? –sorriu simpático.
    -Oh, bem... Eu estou no último ano da escola, e eu trabalho em uma lanchonete e em uma locadora...
    -E você... Gosta de alguém? –perguntou enquanto o garçom trazia o vinho. Mir olhou da bebida para o rapaz, receoso.
    -Bem... –corou. Não podia dizer que se sentia diferente perto do outro. –A-acho que não...
    -Entendo...E pelo que vi, você já beijou... Você é virgem? –perguntou dando um gole no vinho, enquanto Mir imitava, corando em seguida.
    -Hyung! –abaixou a cabeça envergonhado.
    -Não precisa ter vergonha. –sorriu de canto. –Se você quiser, posso te responder a mesma pergunta.
    -Responde então...
    -Ok. –deu de ombros, dando mais um gole na bebida. –Não sou virgem. Já fui pra cama com 4. Eu poderia ter ficado com mais caras... Se eu não tivesse me apaixonado por uma pessoa na qual eu não sabia nem o nome, há 3 anos. –comentou tristonho, porém com um sorriso fraco no rosto. Mir olhava para o mais velho, pensativo. Não, Joon não poderia estar falando de si, ne? Afinal, a 3 anos atrás foi quando o rapaz de cabelo caramelo se mudou para a atual casa. Vamos, Mir, você sabe que não faria ninguém se apaixonar.
    -Oh, então você gosta de alguém... –resmungou tentando parecer indiferente, bebendo o resto do vinho em um gole. Péssima idéia, Mir. Esqueceu que é fraco para bebidas? O mais novo fez uma careta fraca, fazendo o mais velho rir.
    -É, eu gosto. Mas você ainda não respondeu. Você é virgem?
    -Oh... –corou fraco, olhando para o copo vazio. –Quero mais... –apontou infantil, com um bico nos lábios.
    -Você não vai escapar da pergunta, Mir. –riu baixo.
    -Mas eu quero mais vinho... –resmungou. Joon pegou a garrafa do vinho, servindo mais.
    -Pronto... Agora me responde. –sorriu fraco.
    -Bem... –corou. –Eu... Eu ainda... Ainda sou virgem... –comentou envergonhado, dando um longo gole na bebida, fazendo uma careta em seguida.
    -Ah sim. –riu baixo. –Ne, se continuar a beber assim, vai ficar bêbado.
    -Não vou ficar bêbado. –resmungou, virando a bebida em sua boca, arrepiando. Joon deu de ombros, voltando a puxar assunto com o outro.




    Os dois caminhavam em direção ao carro, quando Mir parou, segurando Joon pelo braço.
    -Hyung... Antes de irmos para casa... Podemos ir para o parque? –perguntou manhoso.
    -Tem certeza...? Digo... Você parece bêbado...
    -Por favor, Hyung. –começou a tentar puxar o outro em direção ao parque. –Só um pouquinho...
    -Ok, ok. –bufou, sendo arrastado pelo outro até o parque, não muito iluminado, e vazio. Mir sentou em um banco de madeira perto de um lago, fechando os olhos, sentindo uma fraca brisa gelada bater em seu rosto, bagunçando seu cabelo caramelo, enquanto Joon permanecia de pé, observando o outro, encantado. Pena que não podia demonstrar.
    -Esse ventinho é tão bom. –comentou fofo, avermelhado talvez pela bebida.
    -Sim, sim. –respondeu meio alheio, sentando ao lado do outro, que abriu os olhos, virando o olhar para o mais velho, observando-o olhar para o lago de água clara à frente dos dois, enquanto a brisa leve fazia o cabelo do outro voar, dançando no ritmo do vento. Um pequeno bico se formou na boca do mais novo, que deitou no banco, apoiando a cabeça na perna do mais velho, manhoso.
    -Ne, Hyung...
    -Oi...? –desviou o olhar do lago para o rapaz deitado em seu colo, levando uma de suas mãos para o cabelo caramelo do mais novo, acariciando-o.
    -As... Às vezes me pergunto... Como deve ser...?
    -Como deve ser o que? –perguntou confuso, esperando uma resposta do menor, que fechou os olhos, aumentando o bico.
    -Como deve ser o rapaz que roubou seu coração. –resmungou. É, Mir, você realmente está bêbado.
    -Bem... Não sei muito dele. Sei do apelido, onde ele mora... Mas não sei muito. –comentou voltando a olhar para a água clara à sua frente. –Mas o que eu mais gosto nele é o seu cabelo caramelo, seu sorriso infantil, seus olhos sempre expressivos... –falava sorrindo fraco. Mir observava meio incrédulo. Joon não estava falando do menor, ne?
    -E... Q-Qual o apelido dele... ? –perguntou incerto. O mais velho sorriu fraco, desviando o olhar para os olhos do rapaz deitado em seu colo.
    -Apelido? Mir. –sorriu, fazendo o rapaz de cabelo caramelo corar forte.
    -H-hyung... I-isso... Isso é serio? –sua voz saiu baixa, enquanto se sentava no banco, olhando para o mais velho, que se aproximou devagar, segurando o rosto de Mir.
    -Eu nunca falei tão sério... Eu... Eu nunca desejei tanto ter só uma pessoa... Como eu te desejo... Só para mim... –respondeu encostando seus lábios aos do outro, doce, delicado. Mir ficou surpreso, mas acabou retribuindo, dando passagem à língua do outro, tímido, deixando um beijo calmo começar.
    A mão de Joon estava na nuca de Mir, acariciando-o de leve, enquanto o mais novo apoiava uma das mãos na coxa do outro, acabando por apertar fraco o lugar. O mais velho parou o beijo, descendo a boca para o pescoço de Mir, fazendo-o gemer baixo.
    -H-hyung... –chamou puxando fraco o cabelo de Joon, que marcava o pescoço do outro, apertando-o pela coxa, cintura e bunda. Mir sentiu seu corpo ser levemente empurrado, até estar totalmente deitado no banco, enquanto o mais velho estava deitado por cima, abrindo a camisa do mais novo, beijando-lhe o peitoral, conforme o pano branco ia sumindo.
    -É... Tão bom... Te beijar... –resmungou baixo, entre beijos que deixava na pele do outro, parando perto da calça do mais novo, abrindo-a, o que fez Mir arrepiar.
    -H-hyung... O-o que...? –perguntou fechando os olhos forte. Joon desceu a calça do mais novo, junto com a boxer que o outro usava, passando a língua pelo membro do outro, colocando-o na boca em seguida.
    A boca do mais velho subia e descia pelo membro de Mir, fazendo-o gemer, enquanto puxava fraco o cabelo de Joon, tentando ditar um ritmo mais rápido. O mais velho obedecia ao pedido do mais novo aumentando o ritmo de seus movimentos, enquanto sua mão arranhava a coxa do garoto de cabelo caramelo, que gemia cada vez mais alto.
    -H-hyung, p-para... –pediu assim que se sentiu perto de seu limite, empurrando a cabeça do outro, que resistiu. –N-não, Hyung... T-tira... –pedia, sentindo que não iria conseguir se segurar por muito tempo, mas tinha medo do outro achar aquilo... Nojento. Não acabou agüentando, se desfazendo na boca de Joon, que engoliu, sorrindo largo em seguida, lambendo os lábios.
    -Tão bom... –sorriu dando um beijo no membro do outro, subindo com a boca até perto do ouvido do outro. –Posso... Ser o primeiro a transar contigo? –perguntou sussurrando, fazendo Mir se arrepiar.
    -Ne, acho que pode... –respondeu incerto arranhando a nuca do outro, descendo a mão até o fecho da calça de Joon, abrindo-a.
    -Gosto de pessoas decididas. –sorriu de canto, abaixando a própria calça junto de sua boxer preta. Mir gelou, se encolhendo. –Ne, achei que você queria.
    -E-eu... Eu to com medo... –confessou, abraçando o outro pelo pescoço.
    -Não precisa ficar com medo. –respondeu passando a mão pela coxa do outro, pondo as pernas do outro em sua cintura, aonde Mir as prendeu. – Se doer me avisa... Se quiser que eu pare, me avisa. –Joon segurou o outro pela cintura, começando a se forçar contra a entrada do menor, cuidadoso. Mir gemia alto, meio dolorido, mas não pedia para o outro parar, ao invés disso, pedia para Joon continuar. –Q-quando puder me movi-
    -V-vai, Hyung... –pediu interrompendo o outro, que obedeceu, começando a se mover devagar, mas logo aumentando o ritmo, obedecendo às ordens do mais novo, que gemia cada vez mais alto. Pouco tempo e Joon passou a tocar o outro, que gemia mais alto pelo duplo estímulo.
    -P-posso... Dentro de você... –tentava pedir, sem conseguir muito.
    -F-faz o que quiser... –resmungou Mir, sentindo seu interior ser completo pelo líquido do outro, desfazendo-se na mão de Joon, que lambeu o liquido sorrindo largo, saindo de dentro do mais novo, que respirava ofegante.
    -Tão bom. –sorriu largo, olhando em seguida para o rapaz deitado, de olhos fechados. –Mir... ? –chamou, sacudindo o rapaz de cabelo castanho, que não respondeu, apenas se revirou, sonolento. Joon riu baixo, arrumando suas próprias roupas e em seguida as do menor, pegando-o no colo. Mesmo dormindo, Mir se aconchegou nos braços do outro que o carregava, observando o rapaz mais novo em seu colo, sorrindo encantado, levando-o para casa, para sua grande e confortável cama, em seu apartamento exageradamente grande, para apenas uma pessoa, mas talvez boa o suficiente para Mir e Joon, juntos.
    Bem que falam que você consegue reconhecer sua alma gêmea com apenas um olhar, o primeiro olhar, que nem aquele dia há 3 anos atrás.





    :silent: É isso... Espero que gostem <3 E claro, dedicada para a Minha Mir <3







    Twitter - LastFM - Tumblr - Facebook - MDL - Me2Day

    Comentários nos ajudam a melhorar. Não tenha vergonhe, expresse sua opinião!

      Data/hora atual: Qua Nov 22, 2017 10:55 pm