Shawol Brazil

Fórum brasileiro dedicado ao SHINee


    The Poet and the Pendulum; JongKey; +18

    Compartilhe
    avatar
    Leatherplaid
    Admin
    Admin

    Mensagens : 4493
    Idade : 24
    Localização : SM Town

    The Poet and the Pendulum; JongKey; +18

    Mensagem por Leatherplaid em Sex Out 28, 2011 7:19 pm

    Título: The Poet and The Pendulum
    Autor: ayumichan
    Censura: +18
    Casal: JongKey; implied!OnKey
    Genero: UA
    Andamento: 1/1

    Conto dividido em cinco acontecimentos, inspirado na música homônima da banda Nightwish, recomendo procurar a letra/ouví-la *-*




    I

    - Ele está morto? – Jinki lhe perguntou, sério
    - Sim. Lhe atingi com a lâmina que me foi dada por ti, mestre – A voz daquele garoto que o respondeu era firme.
    Jazia no gelo um corpo morto, uma alma perdida pelo egoísmo de dois homens. Daquele mais velho, que havia pedido ao mais novo o impossível – que matasse o amor de sua vida. E do mais novo, que não obedecera a ordem, ceifando a vida de um completo inocente que passava por ali.
    - Que ele vá para o céu, ao menos – Kibum comentou, entrando na casa de Jinki.
    Quanto tempo levaria até que descobrissem que aquele não era JongHyun?

    II

    Kibum estava retirado, em seu quarto, mexendo em papéis velhos, achando velhos poemas de JongHyun, da época em que estavam juntos. Lembrou do último verso escrito por este antes de sua separação.
    Ele continuava a cantar e recitar a mesma velha música, como se aquele momento de paz fosse acabar a qualquer momento.
    - Oh, Deus, o que me tornei? – Kibum se perguntava – Como eu odeio o que me tornei!
    A vontade daquele homem de voltar para sua casa, onde havia paz era grande demais.
    Mas era tarde demais, não podia voltar para sua casa. Era um prisioneiro de Jinki.
    Seu desejo era fugir. Precisava, mesmo que fosse pego. Seu desejo era morrer longe dali.
    Pegou o mínimo de coisas que tinha, e saiu pela janela. Corria, sentia suas pernas doerem.
    Por que não tinha mais a velha força, da época que estava com JongHyun?
    Jinki notara sua falta momentos depois. Se sentia sendo alcançado por cavalos, de servos do outro.
    Kibum não podia chorar, mas ele também não podia morrer.
    Corria em direção ao que considerava sua morada, ao que considerava um lugar seguro, não poderia desistir naquele momento.
    Corria pelos campos da propriedade de Jinki imaginando-se estar em casa. Como gostava da época que podia correr pelos campos de sua família, acompanhado de JongHyun, rindo sobre qualquer coisa?
    Os cavalos lhe alcançavam, e Kibum desejava chorar porque sabia que tudo estava perdido. Fugir nunca funcionaria com Jinki, por que não pensara nisso?
    Os cavaleiros em cima de seus cavalos lhe gritavam palavras. “Por favor, sem mais palavras”. Se deixou cair no chão. Se deixou ser dominado e levado de volta.
    Sabia que não chegaria em casa correndo, e aquele era seu desejo.
    Continuava sem poder chorar. Havia algo que lhe chorava mais que seus olhos cheios de lágrimas que Kibum insistia em não deixar cair.
    Como morreria, se servia de diversão para Jinki? Ele só o deixaria morrer, quando fosse de sua própria vontade...
    Era seu destino, certo?

    III

    Kibum caminhava à beira de sua tortura. Via o mar... Via a cachoeira ao longe, azul, do rio que desembocava. Parecia tão gostoso ser livre.
    Mas liberdade era algo que sequer podia desejar, tinha certeza disso.
    Liberdade era uma mera palavra para si, já que se tornara um prisioneiro por um bom tempo, e quase havia se acostumado com isso, não era assim que as coisas deviam ser?
    Brincava com a lâmina que devia carregar, enquanto uma chuva silenciosa e fina caía sobre si.
    Parecia um simples passeio, mas alguém o guiava até o lugar onde devia estar.
    E essa pessoa era ninguém menos que Jinki. Era seu castigo ver o local onde pela última vez falou com JongHyun?
    Jinki sabia que era o castigo perfeito.
    A noite caía, rapidamente, e logo uma bela lua estava ali, iluminando ambos.
    - Você sabe aonde vamos? – Jinki perguntou, rindo
    - Certamente – Kibum respondeu, reparando no clarão da luz da lua, rindo de tristeza.
    Ele bem lembrava de quando Jinki passou a estar ali. Ele bem lembrava do primeiro momento em que se tornara escravo dele, e certamente ele bem lembrava daquele local.
    Jinki o levou até uma construção relativamente nova – não presente originalmente neste local, antes da dominação da família Lee. Sabia que aquilo serviria de castigo. A construção era em pleno mar. Conseguia imaginar o que lhe aconteceria.
    Havia apenas um altar, e um pêndulo preso ao teto da construção.
    - Você contará quanto tempo falta até a sua morte. Enquanto isso, pagará por ter sido desobediente – Jinki proclamou em voz alta
    - Certamente, meu senhor.
    Kibum sabia que estava tudo perdido, quando Jinki se aproximou retirando as roupas que ele vestia, o prendendo no altar.
    Não gritou ao se sentir invadido. Não sentia as lágrimas caírem, como antes. Não demonstrava nenhuma emoção.
    E aquele castigo se seguiu pelos dias. O que mudava, é que Kibum sabia o que aconteceria com ele, já que pouco-a-pouco a sala era invadida por água. Água que começou molhando seus pés, batendo em seu tornozelo, joelho...
    Jinki havia parado de ir quando a água subira em seu tornozelo. Kibum não sentia nenhum alivio nisso.
    Por mais que soubesse que fora amado, mesmo estando sozinho na hora de sua morte.
    Ouvia o barulho da maré se levantando e abaixando, e deixando a água que iria pouco a pouco matá-lo entrar. Ouvia o som dos tiros disparados por Jinki contra inimigos, ouvia seus próprios gritos.
    Ninguém iria salvá-lo.
    E o pêndulo continuava a se mexer, numa eterna contagem, enquanto a água subia acima de seu pescoço.

    IV

    Os corvos ainda comiam os restos do inocente morto no lugar de JongHyun, enquanto este escondido achava que o melhor a fazer era forjar sua própria morte e voltar para sua terra natal, ou para o que restara dos domínios dos Kim. Enterrou parte de seus pertences, junto com o corpo que serviria como seu.
    Pobre garoto, não merecia aquilo. Mas ele provavelmente iria para o inferno como todos os seres que viviam na face da terra. Nenhum era digno do céu todo prometido.
    JongHyun sentira um aperto. Como estaria seu amor, naquele dia que passava a amanhecer agora?
    Kibum estava quase se afogando quando sentiu o que o prendia soltá-lo. Precisava nadar para fora, fugir enquanto ainda era madrugada.
    Precisava buscar forças para sair dali. E foi o que fez. Buscou suas maiores forças, de forma a sair dali.
    Nadou, fugindo. Chegou ao seco, passando a correr. Fugia como nunca, precisava escapar dali, o mais rápido possível.
    Sem chorar. Sem sucumbir à morte. Estava machucado, cansado, estava sentindo a dor da morte.
    Mas precisava escapar.
    Enquanto isso, JongHyun deixara um corpo, impossível de ser identificado, com todos os poemas que costumava fazer e mais várias folhas apagadas.
    Iria parar de chorar.
    Algum dia sabia que reencontraria Kibum. Algum dia, mesmo que fosse após a morte.
    Corria, de volta para sua própria casa.
    Ambos ouviam a música do vento, há muito silenciada.

    V

    Após semanas de jornada, JongHyun estava finalmente em casa, com seus pais cuidando de seus ferimentos, quando alguém bateu à sua porta. Tremia de medo, não sabia quem estava ali.
    A lâmina que estava em seu corpo, afundou quando se mexeu, querendo abrir a porta com medo.
    Abriu a porta apenas para encontrar o rosto que menos esperava ali, derrotado, acabado de cansaço, quase morto.
    - Kibum?
    - JongHyun...
    Ele desmaiara após chegar, e naquele momento, JongHyun esqueceu completamente de seus machucados.
    Aquele garoto lhe importava muito mais, certo?
    Ele estava vivo. Estava ali.
    Tudo que ele precisava era saber que Kibum o amava. Tudo que Kibum precisava era de amor.
    E juntos, por fim, estariam.
    Sim, JongHyun sempre iria amá-lo.




    Comentários? ;_; Não me matem, por favor! ;3;







    Twitter - LastFM - Tumblr - Facebook - MDL - Me2Day

    Comentários nos ajudam a melhorar. Não tenha vergonhe, expresse sua opinião!
    avatar
    Taemin'sSunflower
    Moderação
    Moderação

    Mensagens : 1025
    Idade : 24
    Localização : Taemint's World

    Re: The Poet and the Pendulum; JongKey; +18

    Mensagem por Taemin'sSunflower em Dom Jul 08, 2012 5:38 am

    foi emocionante. fiquei arrepiada. desesperada. [fiz um filme na minha cabeça]
    que angustia ser violentado e achar que vai morrer [afogado!], pobre kibum.
    jinki-mau u.ú como pode??
    pelo menos eles se reencontraram. JongKey s2

    parabens^^


      Data/hora atual: Qua Nov 22, 2017 10:54 pm